«

»

Ago 01

Chimay Brune

Bélgica – Chimay Brune: É elaborada por padres trapistas na Abadia de Scourmont, Bélgica. Tem uma coloração acobreada e possui um colarinho cremoso que exala um leve e frutado aroma de damascos produzido pela fermentação. O sabor percebido na boca confirma os nuances frutados observados na fragrância e transmite uma delicada sensação na língua, equilibrado por um leve toque de amargor refrescante. No paladar, o apreciador percebe uma agradável adstringência que complementa as qualidades saborosas desta ceveja.

 

01.08.15

 

Um pouco de história:

A Chimay é uma cerveja trapista fabricada desde 1862 por monges da ordem trapista da abadia de Scourmont, na cidade belga de Chimay. Os monges da abadia de Scourmont pertecem à Ordem dos Cistercienses de Estrita Observância, mais conhecidos como trapistas. O nome Cisterciense foi baseado no monastério de Citeaux, fundado na Borgonha no século 12. Os monastérios Cistercienses são divididos em duas grandes ordens, sendo uma delas ligada à Abadia de La Trappe na Normandia, a origem do nome trapista. São sete abadias da ordem trapista que produzem cervejas e somente elas podem usar a denominação em seus produtos. São seis na Bélgica (Achel, Chimay, Orval, Rochefort, Westmalle e Westvleteren) e uma na Holanda (La Trappe).

 

800px-Abbaye_ND_de_Scourmont_JPG02

 

Abadia de Scourmont, Bélgica

 

A cervejaria:

A história da Abadia de Scourmont se inicia em 1844 com o pedido do padre Jean Batiste Jourdain para fundar um claustro em Chimay. Em 1850, com a doação das terras pelo príncipe de Chimay, Joseph II, além de inúmeras tentativas, ele conseguiu que 17 monges de St Sixtus fossem deslocados para a fundação do claustro. O início foi duro, pois as terras não eram produtivas e as primeiras plantações não deram bons resultados.

 

abadia

Abadia de Scourmont, Bélgica

 

A primeira cerveja foi produzida em 1862 e era uma Bock, chamada de biére forte. Esta cerveja era envasada em garrafas de 750ml e vendida para o público em geral. Esta foi a precursora da atual Chimay Red (Rouge). Em 1871 o claustro tornou-se abadia. A cervejaria foi destruída pelos alemães durante a I Guerra Mundial (1914), foi reconstruída em 1919 e novamente destruída durante a II Guerra Mundial (1942). Em 1948 a cervejaria foi reconstruída e Pére Theodore descobriu a cepa de fermento que seria usada para fabricar as novas cervejas em Chimay: a Dorée, para consumo próprio dentro da abadia, uma cerveja para a Páscoa, que depois passou a ser chamada de Chimay Red (Rouge), e uma cerveja de Natal, que depois passou a ser chamada de Chimay Blue (Bleue). A Chimay White (Tripel) foi produzida pela primeira vez em 1966.

 

DSCN1026

 

Bar Auberge de Poteaupre mantido pela Chimay na Bélgica

Hoje, a cervejaria em Chimay talvez seja a mais produtiva entre as trapistas com uma produção anual de 123.000 hectolitros. A cervejaria foi toda modernizada mas ainda permanece dentro dos limites da abadia. A planta de engarrafamento fica em Baileux, fora da abadia de Scourmont, e tem a capacidade de envasar 40.000 garrafas de 330ml em uma hora. Além das garrafas tradicionais belgas de 330ml, as cervejas são também envasadas em garrafas de 750ml.

 

Cervejaria: Chimay
País de Origem: Bélgica
Grupo da Cerveja: Belgian Strong Ale
Estilo da Cerveja: Belgian Dubbel
Cor: Marrom
Graduação Alcoólica: 7,0%
Temperatura ideal para consumo: 6-8 °C
Copo ideal: Tulip, Trapist
Harmonização: É uma cerveja com boa expressão de malte e álcool, assim sendo vou sugerir pratos que tenham médio-alto teor de gordura, tais quais a paleta de javali assada na própria cerveja dubbel e o Carbonnade Flamande (receita em nosso blog). Diga-se de passagem, é uma ótima cerveja para cozinhar, já que tem maltosidade, baixo amargor e boa expressão alcoólica. Outra excelente combinação envolvem os queijos meia cura da serra da canastra ou alguns envelhecidos da França como o Cantal, por exemplo.

 

Site: http://www.chimay.com

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *